4 de março de 2008

E lá vamos nós

Chegada ontem de fora, aterro hoje no trabalho com a secretária amontoada de coisas para fazer. Eis que, do fundo da minha carteira, ouço o telefone tocar. É um +44. "Olá, queres ver que temos novidades?". Claro que sim. E hoje não estou mesmo com disponibilidade para posts mas "computador oblige". Ora então muito bom dia. Bom dia. Diga. Diga. Não temos boas notícias para si. Você (você é um dos pontos fracos dos meus terminais nervosos) tem que saber que a única solução é instalar um novo monitor. Sim senhor, já calculava. Vamos então proceder ao pagamento. Muito bem. Sabe que os valores alteram com a entrada do mês de Março. Perguntei-lhe, amavelmente, em que língua seria preciso dizer-lhe que não está a lidar com gente estúpida. Calou-se. Porque "o senhor", frizei eu em jeito de contrariar o "você" insistente dele, sabe que o orçamento foi dado há 8 dias e por isso deve ser respeitado. Em resumo? A saga continua hoje no seu dia mais triste, o dia em que a conta, astronómica, é paga. Na quinta feira, ao que tudo indica, regressa a bom porto.

to be continued

5 comentários:

Eu disse...

Vaio-nos Deus! A dolorosa é sempre uma grande chatice...

Tio Jorge disse...

A coisa que fazemos por um Vaio...

Menina dos Olhos de Água disse...

Agora é que "vaiamos" ver como o vaio virá...
Já estamos por tudo.
beijocas

Jorge Monteiro disse...

Então o Vaio náo está abrangido pela garantia?
É que o meu, que foi adquirido em Dezembro, pelos vistos, padece do mesmo mal...
Ainda temos de pagar por cauda de um mau serviço, de origem, que nos prestam?
Não devíamos é ser indemnizados, como nos EUA, pelos transtornos and so on...?!

"Vaia-nos" Deus!

Ouriço disse...

Ele tem garantia, eu é que o fechei com a tampa de um cabo de ipod lá dentro, logo, mea culpa....
Asneira!